riscos

Por definição temor é o receio de um dano futuro ou também um sentimento que nos faz recusar situações e possibilidades que consideramos danosas, arriscadas e perigosas.

A resposta instintiva quando percebemos uma ameaça que supera os níveis que consideramos aceitáveis, é estabelecer ações de controle sobre ela (medidas de segurança), com a esperança que essas medidas diminuam os riscos que nos afetam, recuperando assim a tranqüilidade necessária.

Em cada situação de risco que identificamos repetimos este processo, estabelecendo um “programa de segurança” que se define por uma somatória desordenada de medidas individuais e incoerentes, que não obedecem a critérios racionais pré-definidos.

Os riscos não podem ser vistos como um problema para as organizações, mas sim uma oportunidade necessária para o seu desenvolvimento. A gestão dos riscos se constitui em uma ferramenta para o desenvolvimento estratégico de uma empresa, portanto, todos os programas de segurança deverão ser montados cuidadosamente sobre um “modelo de gestão” coerente e racional que evite ao máximo as decisões tomadas pela emoção nos momentos de crise.

Antes de decidir implantar uma medida de intervenção dos riscos é necessário estabelecer uma estratégia corporativa de manejo dos riscos (todos os riscos independentes de sua origem), adequada às condições e necessidades da empresa e então decidir e atuar sendo fiel a sua estratégia.
Para que o manejo dos riscos tenha o seu custo-benefício justificado, deverá está associado a um processo baseado em uma metodologia pré-estabelecida, com padrões e critérios bem definidos.

Análise de Riscos

Dentre as principais atividades da Análise de Risco, destacamos:

1-  Identificar os principais riscos corporativos que poderiam impactar direta ou indiretamente a Empresa ou Instituição.
2- Fornecer uma visão abrangente sobre as principais vulnerabilidades da Empresa, apresentar de forma clara os riscos, a sua análise, descrevendo as condições atuais.

A abordagem utilizada não se restringe apenas a eventuais ações criminosas que poderia sofrer a Empresa, mas sim a gestão de todos os riscos corporativos que poderiam vir a afetar suas atividades, trata-se de uma abordagem que procura focar a gestão de Riscos de maneira global.

Metodologia para Análise de Risco

A BASE VIGILÂNCIA, utiliza a metodologia GIRO – Gestão Integral de Riscos nas Organizações, empregada na Europa, sendo uma das matérias principais do Curso de Direção de Segurança em Empresas da Universidad Pontifícia Comillas de Madrid.

Processo de Gestão de Riscos

1- Avaliação dos riscos – refere-se a um diagnóstico do sistema (fotografia).
2- Administração dos Riscos – resume-se em decidir e atuar.
3- Comunicação dos Riscos – consiste em informar e comprometer as pessoas que serão afetadas pelas decisões para que haja comprometimento e não simplesmente participação.

A principal meta da análise de riscos sempre será diagnosticar ao máximo os riscos a que está exposta a Empresa, garantindo com isto a continuidade normal das atividades. Uma vez diagnosticados os riscos, poderão então, se propor medidas adequadas, evitando com isto o desperdício de recursos humanos e financeiros.

Esta técnica tem por objetivo propiciar a Empresa, atender a segurança mínima necessária ao seu funcionamento e o bem estar de seus funcionários, impactando ao mínimo a cultura e a rotina da empresa.

Para maiores informações sobre este tema, favor entrar em contato através dos números:

13-3227-0299

Ou através do email: base@baseseguranca.com.br